SeuArquiteto.com

Arquiteto Alcides da Rocha Miranda

Alcides da Rocha Miranda (Rio de Janeiro, RJ,1909 -2001) foi um arquiteto, pintor, desenhista, professor, pesquisador e conservador do patrimônio brasileiro.

Arquiteto, conservador do patrimônio, dedicou-se à pintura, ao desenho e ao magistério. Em 1932, formou-se em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, tendo iniciado seus estudos na mesma escola em 1925. Realizou seus primeiros estudos de arte com Portinari e Guignard. Integrou, mais de uma vez, o júri da Divisão Moderna do Salão Nacional de Belas Artes e organizou uma exposição de pintura brasileira em Londres (1944). Como técnico do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, atuou com destaque ao lado de Rodrigo Mello Franco de Andrade e de Lucio Costa. Integrou ainda a Comissão Executiva da Exposição Retrospectiva da Arte Sacra Brasileira, Rio de Janeiro (1955). Participou do Salão de Maio, São Paulo (1938), da mostra de arte brasileira levada a Buenos Aires e La Plata (Argentina, 1945) e do Salão Nacional de Belas Artes (1956).

Cofundador da UnB, ao lado de Darcy Ribeiro, Anísio Teixeira, tendo sido o primeiro diretor da Escola de Arquitetura e Belas Artes, passando a cadeira de arquitetura posteriormente a Oscar Niemeyer e permanecendo como diretor de Belas Artes.

Casa de Alcides Rocha Miranda

Casa de Alcides Rocha Miranda

Homenagens

Recebe o Título de Notório Saber da USP e é condecorado pela organização do Museu Santos Dummont com a Medalha Mérito Santos Dumont do Ministério da Aeronáutica e a Medalha Santos Dumont do Governo do Estado de Minas Gerais. Em 1987 é homenageado com a Medalha Comemorativa dos 50 anos do Sphan.

Foi considerado por Lúcio Costa como o mais sensível dos arquitetos brasileiros, dito isso na ocasião de seu aniversário de 80 anos:

“Alcides da Rocha Miranda, 80 anos! Artista de nascença. O mais sensível e puro dos nossos arquitetos. O conheci primeiro apenas de vista, quando no fim dos anos 20 o notara, ainda muito moço, como algo ‘diferente’ em meio aos demais passageiros que, na estação da Leopoldina, embarcava às cinco e meia de volta a Petrópolis. Em 31, já diretor da ENBA, constatei que ele fazia parte da turma confiada a Gregori Warchavchik que me confidenciou ser o Alcides, entre todos, o mais artista (…)”. Não apenas por sua arquitetura, mas por tudo o que a sua vida encerrou, a ausência do Dr. Alcides nos distância um pouco mais da Virtude, e em tempo tão nebuloso”.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Alcides_Rocha_Miranda

Centenário do arquiteto Alcides da Rocha Miranda no Museu Nacional de Belas Artes

Alcides da Rocha Miranda, membro da primeira equipe do IPHAN e fundador da Universidade de Brasília junto com Darcy Ribeiro, Oscar Niemeyer e Anísio Teixeira, ganha homenagem em sua memória no mês em que completaria 100 anos em Ato Cultural no Museu de Belas Artes no dia 30 de julho, às 16h30, no Rio de Janeiro.

Um dos maiores nomes da arquitetura brasileira, o homenageado mais que merece esta lembrança pelo pioneirismo de seus diversos projetos. Arquiteto moderno e artista plástico, Alcides da Rocha Miranda foi também o primeiro diretor de seu Instituto de Artes Rocha Miranda e projetou os dois primeiros prédios do campus da UNB, Faculdade de Educação e Auditório Dois Candangos. Também são de sua autoria edificações em várias cidades brasileiras como a sede do BNDES em Brasília, Grande Abrigo para romeiros e igreja na Serra da Piedade/MG, residência de Vivi Nabuco em Tiradentes/MG e o altar-monumento do Congresso Eucarístico Internacional no Rio de Janeiro (risco original de Lúcio Costa), entre muitos outros.

Coordenado e idealizado por seu filho, o artista plástico Luiz Áquila, o evento será aberto pela diretora do Museu, Monica Xexeo, com a leitura de  texto de Lucio Costa sobre Alcides da Rocha Miranda. Será exibido também, pela primeira vez, o curta-metragem animado Documentário Subjetivo de Julia Miranda, neta do arquiteto, acompanhado ao vivo por grupo instrumental. Em seguida, a mezzo soprano Luciana e Costa Silva e o pianista Flavio Augusto apresentam um repertório composto só de compositores de música moderna brasileira contemporâneos do arquiteto.

Fonte: Sidney Rezende


O que você gostaria de nos dizer?
Seu Nome ↓
Seu E-mail ↓
Seu Site ↓
Fale-nos o que achou deste post ↓
Você pode usar estes termos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>